quinta-feira, 4 de julho de 2013

Paixão Inventada




Inventei a paixão, agora é paixão inventada
E desta vez é uma paixão carnal
Chega de amores platônicos ou imaginários
Quero boca na boca, olhos nos olhos
Quero pele, quero fôlego, cheiro
Chega de recato ou vergonha

Tudo que qualquer paixão de verdade tem
Só não ponho a prova meu coração, coitado
Paixão inventada, no coração só de passagem
Porem de todo o pomo provado
Ao máximo degustado, mais saindo ileso
Imune a dor qualquer do pós-amor

Amo os regalos das paixões inventadas
Pois no fim acaba sendo ela a verdadeira
Não machuca, mas é desfrutada de verdade
Finjo que é paixão, enquanto me divirto
Sem tortura, nem ciúmes, ciente do fim
Sem ilusões do pra sempre, do perfeito

Curto mais, sofro menos, diversão garantida
E no final não existem decepções
Já que não houve cobranças nem esperanças
Acaba sendo muito mais real, muito mais legal
Essas minhas loucas paixões inventadas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo e obrigado pelo seu comentário