sábado, 7 de setembro de 2013

Sinto sua falta




Sinto tanto a sua falta 
Que chego a me aborrecer. 
Como poderei viver 
Sem ter você ao meu lado? 
Sendo tolo, abandonado,
Sem legado, sem prazer, 
Ainda insisto em lhe ver, 
Sou enfim, recompensado. 
Você não será passado, 
Meu futuro esperado,
No presente, acontecer.

Entregues ao ardor da paixão





Lábios se comprimem ansiosos de desejo. 
Turbilhão de medo e de receio.
Cada coração em si inteiro. 
O amor verdadeiro, 
Não requer condição.
Apertam-se as mãos, 
Comprimem-se os seios. 
Abraços e beijos, 
Tanta emoção. 
Nunca se diz não 
Aos seus apelos.
Entregues, alheios,
Ao ardor da paixão.

Amor de minha vida






O seu ciúme me envaidece, 
Ao mesmo tempo, me enlouquece 
Por sua boca contorcida. 
A sua cara enfurecida
Por essa raiva que expele,
Tanto me fere
Como a deixa entristecida.
Talvez, por se sentir traída,
Se afastar de mim, prefere. 
Mas, sinto falta de sua pele
E peço que não se exaspere, 
Você é o amor de minha vida.